Vítor Azevedo

Vítor Azevedo

My star system:



James Cagney
Ray Milland
Marlene Dietrich

Favorite films

  • Buffalo '66
  • Mulholland Drive
  • Lawrence of Arabia
  • Blood and Black Lace

Recent activity

All
  • The Visit

  • Pippa Passes

  • Old

  • Year of the Dragon

Recent reviews

More
  • Old

    Old

    Parece que depois de anos e anos ouvindo as repetidas ladainhas (que mais inflamam do que efetivamente analisam) sobre como sua carreira se baseia no ato de contar e imaginar, Shyamalan externalizou a coisa de modo bem direto.

    Quero dizer, não do modo que seu fã-clube costuma descrever. Pois, na verdade, “poder sugestivo da história oral”, “retorno ao ato primordial de contar”, “possibilidades redentoras da narrativa”, soam a mim apenas como adjetivações excessivamente românticas que não dão conta do que…

  • Year of the Dragon

    Year of the Dragon

    Das comparações mais comumente traçadas, creio que a mais imediata e prolífica esteja entre Stanley White e o Ethan Edwards de John Wayne, porém, assistindo ao longa, curiosamente, o nome que mais me veio em mente foi o de outro personagem: o "Popeye" de Gene Hackman.

    Talvez uma ligação mais fácil, considerando que Cimino e Friedkin são cineastas de uma mesma geração, mas, ainda assim, é uma contraposição que me parece trazer uma certa elucidação e exponenciação sobre como ambos…

Popular reviews

More
  • Jojo Rabbit

    Jojo Rabbit

    Jojo Rabbit é como um livro de auto-ajuda de 50 páginas endereçado para aqueles que sofreram com o nazismo, ou seja, uma besteira.

    Logo de cara, no seu primeiro seguimento, me preocupei com a forma que o discurso estava sendo levado, se, talvez, levar toda a situação sob um humor infantil apenas dourava a pílula sobre os problemas do nazismo e afastava qualquer reflexão inteligente. Pelo contrário, a primeira sequência do filme é a única coisa que ele possui de…

  • Once Upon a Time… in Hollywood

    Once Upon a Time… in Hollywood

    Uma grande diferença dos filmes contemporâneos, nessa retomada nostálgica do audiovisual, se comparado a um cinema maneirista, por exemplo, outro momento do cinema olhando para a sua história, é como essas novas obras usam de uma bagagem cinematográfica consciente de modo mais imediatista, se satisfazendo com pouco. Como se mais importante do que conversar sobre um filme fosse mostra-lo na sua prateleira (literalmente um dos planos iniciais de Clímax). A grande maioria desses filmes, a despeito de um Noé citado,…