Abaixo a Gravidade

Abaixo a Gravidade

"O filme é dedicado a [Luiz] Paulino [dos Santos] e a Carlos Reichenbach, Andrea Tonacci e Ramon Vane. Todos artistas marcados pela quebra de paradigmas, pela ousadia criativa e especialmente pela não-conformidade com qualquer tipo de amarra ou status quo. Edgard Navarro é dessa linhagem e faz parecer lógico que seu diálogo se dê nessas instâncias. Acrescido da montagem precisa de Cristina Amaral, outra da mesma turma fora de série, Abaixo a Gravidade é um filme contra o poder estabelecido e contra as convenções, posicionando-se diante disso tudo com ternura e compreendendo que não basta chutar a porta, e sim também oferecer um caminho alternativo de apreensão. Bené se afastou da cidade grande numa “busca espiritual” e encontra decepção e desilusão quando decide retornar. Cheio de doenças (entre elas, um mal que lhe obriga a tomar remédios cujos efeitos colaterais incluem disfunção erétil), não consegue entender como pode estar em situação-limite tendo abdicado de um mundo corroído. Nas andanças de gosto agridoce pelas ruas de Salvador, depara-se com uma nova urbanidade, tão mais moderna quanto violenta. Se Bené é levado de volta à civilização pela ilusão do amor (que ele erroneamente acredita ter conquistado), os obstáculos com os quais se depara acabam por devolvê-lo à percepção de antes – de que algo não respira bem entre prédios e ruas e carros e gentes."

O texto completo de Marcelo Miranda pode ser encontrado em revistacinetica.com.br/nova/acorda-gravidade/

ABAIXO A GRAVIDADE será exibido na Sessão Cinética, em parceria com o Instituto Moreira Salles, nos dias 13 de Setembro, no IMS Rio, às 19h, e 27 de Setembro, no IMS Paulista, às 19h30. Após as sessões, haverá debates com os críticos da revista e convidados/as.