• Looking for Eric

    Looking for Eric

    Proletariado para crianças

    por Fábio Andrade

    Quando aparecem os primeiros planos de arquivo em que Eric Cantona joga futebol, em À Procura de Eric, uma trilha sonora ao melhor estilo FM easy listening acompanha as imagens, tirando delas toda impressão de contato e presença física. A trilha, com seus pianos alegres e instrumentação comedida, faz lembrar os mais convencionais filmes de família made for TV, onde as questões são encenadas não pela crise, mas pela facilidade de resolução. A proximidade…

  • Two Rabbits

    Two Rabbits

    Sob o risco do real

    por Fábio Andrade

    É bastante compreensível que qualquer pessoa que veja o trailer de 2 Coelhos já entre no cinema com uma série de pressupostos que ajudam a empurrar o filme para debaixo do tapete. Compreensível e bastante justificado: há uma honestidade de intenções aqui, que ficam claras logo nos primeiros segundos – de filme ou de trailer – e que não serão desmentidas, contraditas ou ressignificadas. Estamos no reino da absoluta polifonia, do caos…

  • 1408

    1408

    Um pesadelo

    por Ronaldo Passarinho

    Um romancista frustrado, que ganha a vida escrevendo guias sobre lugares mal-assombrados e vara as noites enchendo a cara, decide ir surfar. Assim, sem mais nem menos. Mas o que importa é que ele leva um caldo e quase se afoga. E é isso. Acabou a cena. Que função esse quase afogamento exerce na trama? Arredondar o personagem, mostrando que ele ainda conserva um hábito saudável, resquício, talvez, de dias mais felizes? Ou simplesmente gerar…

  • 127 Hours

    127 Hours

    Enquadrado

    por Thiago Brito

    Dentro de uma garrafa, de um braço, fotos, máquina, no ar, debaixo d'água. A câmera deve estar em todos os espaços, todos os lugares e em qualquer instância; nada é sagrado, nada foge da possibilidade de se tornar imagem. A tripartição do quadro é uma fragmentação ou a expressão de um absoluto? Em Cisne Negro, Aronosky faz questão de filmar diante do espelho e subtrair a existência física de uma câmera; aqui, a sombra de Aron…

  • The Twelve Labours

    The Twelve Labours

    Trajetória em construção

    por Eduardo Valente

    Certamente dois longas-metragens é muito pouco para se definir o “estilo” de um cineasta, mas vendo Os 12 Trabalhos é impossível não perceber as semelhanças de projeto que o filme tem com o longa de estréia de Ricardo Elias, De Passagem: uma narrativa constantemente em movimento pela cidade de São Paulo, a importância do espaço das ruas na história, a opção por personagens eminentemente da periferia, uma jornada de um dia marcada principalmente pelos…

  • Gone

    Gone

    Fazendo sentido

    por Raul Arthuso

    Um pequeno caso recente envolvendo 12 Horas: quando do lançamento comercial do filme no Brasil, uma matéria na Folha de São Paulo trazia uma declaração de seu diretor, Heitor Dhalia, dizendo: “O filme não é meu. É do produtor. Fui apenas um matador de aluguel”. Ao lado da matéria, a crítica de Inácio Araújo, com a chamada “Diretor supera mau roteiro e faz, curiosamente, sue melhor filme”, na qual o crítico escreve em dado momento:…

  • The Revenant

    The Revenant

    A ilusão do hiper-realismo

    por Alejandra Rosenberg

    Como se estivesse em uma sala de taxidermia e etnografia de um museu de história natural, o espectador de O Regresso adentra, pela tela, os arredores do rio Mississippi no século XIX. Nesse cenário sangrento e bucólico, a história de sobrevivência de Hugh Glass (Leonardo DiCaprio) é contada. Não se trata, apenas, de uma história baseada numa história real; especificamente, sua intenção é ser “tão real quanto possível”. Alejandro G. Iñárritu nos transporta…

  • Fifty Shades of Grey

    Fifty Shades of Grey

    Falsas perversidades

    por Andrea Ormond

    Se a maioria das pessoas ditas “esclarecidas”, ao lerem o livro e verem o filme, julgam Cinquenta Tons de Cinza um folhetim hardcore, prefiro acreditar que o combo encerra um poderoso espírito dos nossos tempos. Longe da referência a Sabrina – melhor seria dizermos Carlos Zéfiro e Brigitte Bijou –, o que sobrevive na história é toda uma cafajestagem, uma ode ao empobrecimento das relações homem-mulher, por conta da paranoia politicamente correta.

    Cinquenta Tons de…

  • Jurassic World

    Jurassic World

    Por trás dos panos

    por Pedro Henrique Ferreira

    Muitas das atuais sequels de trilogias hollywoodianas que fizeram sucesso de público no passado chegam aos cinemas já envoltas por uma mística trazida pelo imaginário dos filmes anteriores. Por um lado, isso faz delas típicos produtos de fácil exploração comercial, pois o sucesso do original já é seu próprio marketing. Por outro, o original é também um grilhão, visto que as expectativas comerciais, artísticas e do público devem ser preenchidas. O diretor…

  • Jurassic World

    Jurassic World

    Cópia infiel

    por Gustavo Vinagre

    Após quatorze anos do lançamento do terceiro Jurassic Park, a estréia de Jurassic World (quarto filme da série) chegou com o enorme peso de reinventar a franquia para conquistar novos fãs, sem desagradar os antigos. O filme (que começou sua estratégia de marketing mais de um ano antes do lançamento), levantou muitas expectativas desde o trailer – é possível senti-las nos comentários do Youtube – sobre a qualidade das imagens, onde predomina a tecnologia CGI,…

  • She Comes Back on Thursday

    She Comes Back on Thursday

    Com autoria, com afeto

    por Raul Arthuso

    No texto sobre Ventos de Agosto (2014), indiquei uma trajetória no trabalho de Gabriel Mascaro, perpassando toda sua obra. Mas se falo de uma “busca do olhar”, isso não é mero apego à noção de autoria como inquietação crítica no corpo a corpo com os filmes. De Um Lugar Ao Sol (2009) a Ventos de Agosto, a matéria mesma dos filmes, o objeto filmado, o tema, os lugares, as personagens, pertencem a universos…

  • She Comes Back on Thursday

    She Comes Back on Thursday

    Samba sobre o infinito

    por Juliano Gomes

    O trabalho de André Novais como diretor, neste longa aqui em questão e nos curtas Fantasmas (2012), Pouco mais de um mês (2013) e Quintal (2015), representa um caso bastante raro na constituição surpreendentemente sólida de uma voz, um tom, um manejo particular das imagens hoje. Neste conjunto de filmes, mais do que perceber um certo grupo de procedimentos e elementos comuns, nota-se a imposição de um tom. Assim como na música, a…