• Mortal Kombat

    Mortal Kombat

    Mais uma vítima da obsessão contemporânea de Hollywood em fazer as coisas terem "sentido" dando subsídio e "explicação" pras fantasias mais delirantes, num misto de busca por legitimação/seriedade com total falta de senso de imaginação. O fato de o videogame ser uma maluquice ajuda que o filme tenha momentos inspirados, mas parece que a produção fica o tempo inteiro puxando a corda em sentido contrário. É inevitável pensar na versão de 1995, vinda de um outro tempo e que apostava alto na despirocação mais livre. Quando essa nova versão perde um pouco de controle, ela fica melhor. Mas acontece pouco.

  • Psycho

    Psycho

    ★★★★

    Um experimento sem precedente: não é remake de um filme, e sim remake de uma forma de filmar.

  • Mistério na Colônia

    Mistério na Colônia

    ★★

    O ex-futuro presidente do Brasil enforcando assassino com um estetoscópio e virando churrasco de gaúcho. Ninguém foge de psicopata com a classe de Luciano Huck.

  • O Retrato do Mal

    O Retrato do Mal

    ★★★★

    Adaptação de uma HQ do Jayme Cortez.

  • Beyond the Infinite Two Minutes

    Beyond the Infinite Two Minutes

    ★★★½

    Trama de viagem no tempo filmada na pandemia com muita criatividade e pura diversão. Elenco adorável, todo mundo histérico e se divertindo. Filminho gostoso. Queria morar dentro dele. E é também uma alegoria incrível sobre o próprio teatro pandêmico do último ano.

  • King Kong vs. Godzilla

    King Kong vs. Godzilla

    ★★

    Tem sua graça, especialmente o Godzilla se movendo como uma galinha e o King Kong transportado por balões de gás hélio tipo aquele padre que sumiu.

  • Godzilla vs. Kong

    Godzilla vs. Kong

    ★★★★

    Agora sim: sci-fi sem vergonha de ser feliz, quase sem draminha humano e com o tipo de situações delirantes que empolgam bem mais do que fazem sentido. Adam Wingard é o único cineasta americano a lidar com material do Godzilla (e um bocado do Kong) com evidente tesão por isso, sem tentar "legitimá-lo" pra além de sua própria força de atração visual e imaginativa, como na sequência inteira em Hong Kong, um negócio tão extravagante quanto hipnotizante.

  • Godzilla: King of the Monsters

    Godzilla: King of the Monsters

    ★★½

    This review may contain spoilers. I can handle the truth.

    Ainda tem humanos demais, mas pelo menos tem mais monstros que o anterior, e o Godzilla, aqui, aparece e age mais, ainda que as criaturas continuem só aparecendo de noite, no escuro, com chuva, relâmpago e tudo que atrapalhe você a enxergar. E seguem muitos humanos e falação e ações militares e famílias esfaceladas.

    Fica a dúvida: onde aqueles monstros aprenderam o protocolo de se ajoelhar diante de um ser poderoso supostamente "rei"? Que cultura mais... humana.

  • Godzilla

    Godzilla

    Tem humano e chuva demais.

  • Nomadland

    Nomadland

    É tipo "Arábia" nas estradas do Oeste americano (mas "Arábia" é melhor). Com a diferença de ser um filme que lamenta o fim do capitalismo e isso não podia ser mais... capitalista.

  • Audácia!

    Audácia!

    ★★★½

    QUEIMA A CIDADE COM A CÂMERA, PAULAAAAA

  • Sick Sick Sick