Marcelo Miranda has written 10 reviews for films during 2018.

  • Black Mirror: Bandersnatch

    Black Mirror: Bandersnatch

    A brincadeira interativa não é suficiente pra que toda a experiência não passe de uma enorme tolice, com enredo desinteressante, direção ruim do bom David Slade e a sensação de perda de tempo. Nem como "evento" dá pra escapar da aporrinhação.

  • Bird Box

    Bird Box

    ★★

    Genérico de The Happening com The Mist com The Road, retirando tudo que esses três tinham de potências e deixando só a casca. Na mesma linhagem esse ano, A Quiet Place é bem melhor.

  • Happy as Lazzaro

    Happy as Lazzaro

    ★★★½

    Realismo mágico na Itália dos trabalhadores explorados. Tem um epílogo que, a depender da relação que se estabelece com o filme, pode destruir tudo até ali ou encantar de vez.

  • Venom

    Venom

    Uma bagunça de intenções e sentidos que só serve pra fazer barulho e ganhar quilos de dinheiro em bilheteria. Em relação aos gibis, descarta tudo que fazia o personagem minimamente interessante; em relação ao filme em si, parece saído de uma máquina enguiçada de blockbusters dos anos 90. Tom Hardy passa o tempo todo com cara de que caiu no filme errado e não tinha como sair.

  • First Reformed

    First Reformed

    ★★★★½

    Quando a fé não dá conta do mundo. Paul Schrader no ápice da forma.

  • Annihilation

    Annihilation

    MacGuffin sci-fi para um filme hipnótico sobre identidade, cores, sons e artes visuais.

  • BlacKkKlansman

    BlacKkKlansman

    ★★★★

    Um poderoso Spike Lee (e quando ele não foi poderoso? Vivem tentando desqualificar o sujeito há vários filmes, mas ele permanece como forte referencial, especialmente nos recentes "Chi-raq", "Rodney King" e a série "She's gotta have it"). A forma um tanto convencional não impede a tensão constante e crescente. As imagens finais de Charlottesville, após a reapropriação da história do cinema via Fleming e Griffith, são uma pancada e tanto.

  • The Stendhal Syndrome

    The Stendhal Syndrome

    Pós-giallo feito por um mestre em sua mais perfeita forma.

  • The Texas Chain Saw Massacre

    The Texas Chain Saw Massacre

    O maior grito/a maior gargalhada final da história do cinema.

  • The Other Side of the Wind

    The Other Side of the Wind

    ★★★★★

    O frenesi do filme, com sua narrativa de tirar o fôlego, vai ao encontro da empolgação em assistir a um Welles inédito dessa magnitude. Vanguarda de um elo perdido entre o auge da Nova Hollywood e seu declínio.