• Unhinged

    Unhinged

    Que forçação de barra. Aqueles filmes onde o bandido tem a maior sorte e invulnerabilidade e todos ao redor as piores decisões e azar de sobra. Nada para o maniaco, fora de proporções, tiro no ombro esquerdo, batida de carro do lado dele e sai andando, enquanto polícia não acerta nenhuma, celular acaba bateria da protagonista.. perda de tempo, clichê de sobra, enredo tosco sem sentido e mínimo de sagacidade. Policial FANTASIA, mundo da imaginação com nada a acrescentar. Não assista. Da até raiva pelo tempo perdido.

  • Nobody

    Nobody

    ★★★★

    “Cruzou com o cara errado, seus otario!”
    Quer porrada de verdade, tiros estilo John Who, com os supostos caras maus encontrando o pai do rock? 🤘🏻👹
    Vai pela linha mais crua da saga John Wick, trilha sonora da hora, pets envolvidos na trama, máfia russa. O vilão é sensacional, estereotipado, exagerado é engraçado. Mas o protagonista tem um diferencial: so olhando, a maioria menosprezaria, porte físico normal e meia idade. Situações mais engraçadas na trama, com ultraviolenta envolvida. Aí que…

  • Valhalla

    Valhalla

    ★★½

    Uma versão mais celta da lenda nórdica com o pessoal de Midgard, Asgard e a terra dos gigantes Uhtgard. Aquelas tretas de sempre entre os reinos com o Thor resolvendo na base da martelada. 
    Da uma versão escandinava com paisagens locais, efeitos visuais bem feitos, historia mais perto da original. 
    Cena antológica: a protagonista Roskva e o amigo gigante Quark em uma viagem psicodélica lisérgica no meio do filme após ingerirem cogumelos. Vale ressaltar a arma de lançar talco do Odin. Muito perigosa. 
    Filme bobo mas diverte, podem chamar as crianças e colocar coisa diferente da americana na cabeça delas, e de geral.

  • Godzilla vs. Kong

    Godzilla vs. Kong

    ★★½

    Kong é prisioneiro é escravo, vive acorrentado e segue ordens e confia em um ser do tamanho de uma formiga, para alguém do tamanho dele. Utiliza ferramentas e domina a linguagem dos sinais.
    Godzilla é mau, não é útil ao ser
    Humano, é livre. Gosta de destruir cidades, embarcações. Lança raio laser pela boca. 
    Efeitos especiais muito legais, cada dia mais reais, não entendi o mundo subterrâneo, nem as leis da física, muito menos a igreja como de campo de…

  • Zack Snyder's Justice League

    Zack Snyder's Justice League

    ★★★½

    Voz de locutor de seção da tarde:
    🎙”o que vai acontecer com o mundo, quando uma turma muito doida composta pelo Papa Léguas, um Rato de asas Gigante, o T-800 Robocop, um anfíbio que tem  telepatia com os peixes, liderados por uma senhora de 5000 anos resolvem profanar o túmulo de um amigo morto, que, além de extra terrestre, vai virar zumbi boladão pra derrotar, as forças do lado Darkseid da história?”
    No melhor estilo HQs respeitando as histórias paralelas…

  • RAGE

    RAGE

    Uma prova de resistência pra ficar acordado. A música de fundo do suspense é uma pianola triste repetitiva, melancólica é que vai baixando os olhos à medida que o filme se arrasta, enrola, enseba até finalmente tentar surpreender com um final espetacular que não acontece. 
    Trama enrolando com personagens secundários, e a lição de moral final que, já que cagou tudo, deixa os outros cagarem em paz. Tem filme australiano muito bom, passa longe dessa avaliação esse daqui. Ruim.

  • Scarface

    Scarface

    ★★★★

    De onde surgiu o game GTA? Desse filme aqui, logico. O “sonho americano” em versão hard core, já nos primeiros 30 minutos de película Tony Montana chega aos EUA de barco de pesca, engana a imigração, mata um dissidente comunista, trabalha lavando pratos, entra pra organização criminosa, pega o pó , a grana e fica de olho na mulher do Boss. A caracterização dos capangas é um festival de estereótipos latinos caracterizados em um clipe de mambo. Descobrimos que cocaina da super poder de blindagem temporária e resistência absurda à morte por tiros de fuzil e metralhadora.

  • Nomadland

    Nomadland

    ★★★★

    Muito bem feito, de maneira despretensiosa vai prendendo a atenção em direção ao próximo ponto de parada, próximo emprego temporário, próxima pessoa falando como virou um nômade contemporâneo, atravessando os EUA, criando uma nova maneira de sobreviver, não Homeless, mas Houseless. Uma abordagem que também é tendência, sem CEP fixo sobrevivendo na sazonalidade. Por vezes parece filmado de celular, explora a fotografia e a humanidade. Contaminado pela nossa realidade, fiquei esperando algum tipo de violência ou sacanagem, e fui surpreendido por solidariedade e acolhimento. Assista com vontade de fugir com o circo.

  • Redemption Day

    Redemption Day

    Início do filme já rola um efeito especial de bomba que me ligou um alerta; começa com aquela imagem aberta feita por drone e um fundo sonoro tipo Sicário, clima de deserto e rapaziada tensa, mas fica nisso mesmo. Flashbacks de síndrome de estresse pós traumático, cenas de batalha mal cortadas estilo programa de tv, o roteirista se cansa e copia os mesmos clichês de Rambo, Bradock, bandidos se jogando de peito aberto metralhando a esmo, com uma mira impecável…

  • I Care a Lot

    I Care a Lot

    filme bosta mudando meu conceito de horrível. Perdi minha noite de sábado pra ver bandidagem se dar bem, como se não bastasse a realidade. Da na mesma que acompanhar notícias, impunidade e glamour. Diretor fdp mais um que fumou crack no final da produção. Lixo, eu falaria para o eu do passado não assistir, caso tivesse um Dulorean. Da na mesma que ver a Karol Conka levar o bbb, só vai rolar trevas se dando bem. Mas tem gente que vai gostar. Eric Cartman tava certo mesmo..Azar de quem gostou dessa imundície.

  • Pulp Fiction

    Pulp Fiction

    ★★★★★

    Obra prima do Tarantino, baseado em histórias de quadrinho pré Marvel e DC, com histórias interligadas. Uma dupla de capangas, a mulher doidona do chefe, um boxeador veterano esperto, apostas, overdose, curra, vingança.. diversão pura ou a moto do Zed dois dias depois de sua morte. CUIDADO ao entrar em algum antiquário ou loja de penhor! Assista e depois vá dar um rolê pela cidade.

  • Saint Maud

    Saint Maud

    Tô até agora esperando alguma coisa que remeta o filme ao gênero “terror”. Não assusta, nao da tensão nem ansiedade, talvez um pouco de nojo. Relata a ascensão da loucura de uma fanática religiosa, do auto flagelo, assassinato e finalmente a única parte que vale do filme, mas muito rápida, imolação. Sem tempo irmão. Uma bosta.