Luiz has written 36 reviews for films rated ★★★½ .

  • Social Hygiene

    Social Hygiene

    ★★★½

    Qual cumplicidade tácita poderiam partilhar, por um lado, o distanciamento social imposto pela pandemia do novo coronavírus e, por outro, o distanciamento simbólico agenciado pela dramaturgia? Essa estranha pergunta parece reincidir nos intervalos entre uma e outra longuíssima tomada de Higiene social (Hygiène sociale, 2021), novo filme do canadense Denis Côté (Antologia da cidade fantasma) que integra o catálogo online da atual edição da Mostra de São Paulo. Composta, basicamente, por um conjunto inferior a dez planos-sequência jamais decupados internamente,…

  • No Time to Die

    No Time to Die

    ★★★½

    The only thing scary about Rami Malek is how bad of an actor he is

  • The White Sheik

    The White Sheik

    ★★★½

    A indústria cultural como metaestrutura que freia a reinvenção do amor

  • Another Round

    Another Round

    ★★★½

    No final dos anos 1990, quando a câmera digital ainda passava longe dos padrões estilísticos da indústria cinematográfica, suas potencialidades se desvelavam nas mãos de um jovem dinamarquês. Com uma filmadora caseira na mão e uma premissa na cabeça, Thomas Vinterberg adentrou os aposentos da classe alta escandinava para expor sua hipocrisia, transformando em linguagem as “limitações” tecnológicas. Em vez de apesar de, justamente por causa dos ruídos em forma de pixel e da instabilidade de suas imagens, Festa de…

  • Ammonite

    Ammonite

    ★★★½

    O singular título Ammonite (2020), inédito no Brasil, dificilmente esclarece seu significado até quando traduzido para o português, amonite. Uma rápida consulta ao dicionário revela tratar-se de um molusco extinto ainda no período Cretáceo, dizimado pelo mesmo processo que vitimou os dinossauros. Dessas criaturas aquáticas restam apenas fósseis, escavados por Mary Anning (Kate Winslet) no novo filme de Francis Lee (O Reino de Deus). O trabalho da paleontóloga consiste em limpar as pedras coletadas na praia para delas extrair documentos…

  • The Dark and the Wicked

    The Dark and the Wicked

    ★★★½

    As its house/America rots from within, what menaces the younger generation are no longer faceless strangers, but their own roots, well-known habits and values. Oedipally, the moribund father/power deals with his decay while the mother/religion is perverted, but this unmeasured (hubristric) path remains yet to be followed. The wicked hides precisely in the darkness one refuses to go through, since it is certainly easier to transfer hers/his fears elsewhere - either demons or "the exotic other".

  • The Rebellion

    The Rebellion

    ★★★½

    No começo da década de 1990, Michael Haneke já havia debutado nas grandes telas quando recebeu o convite da rede austríaca ORF para dirigir A rebelião (Die rebellion, 1993), adaptação do livro homônimo de Joseph Roth. O lançamento cinematográfico de O sétimo continente (Der siebente Kontinent, 1989), quatro anos antes, resulta, de fato, quase de um acaso, tendo o seu roteiro inicialmente visado ao espectador televisivo. Desse modo, em paralelo à produção da “trilogia da frieza”, Haneke continuou a colaborar…

  • Variation

    Variation

    ★★★½

    Uma sequência de tons oníricos principia Variação (Variation - Daß es Utopien gibt, weiß ich selber!, 1983): enquanto a montagem sobrepõe gradualmente tomadas aéreas entre fusões, uma voz fora de quadro versa sobre o medo infantil de anjos. Por que temer entes vinculados à ideia de proteção? A narração explica. Para aquelas crianças, a onisciência divina equivaleria à giganteza corpórea, e seres de proporções monstruosas sobrevoariam as cidades. Neste caso mensageiras do apocalipse, as criaturas celestes estabeleceriam, portanto, analogia com…

  • 24 Realities per Second

    24 Realities per Second

    ★★★½

    Tal qual os etnólogos, os documentaristas frequentemente vão “a campo” com uma hipótese a ser corroborada ou refutada durante as filmagens. Eva Testor e Nina Kusturica, ex-alunas da Filmakademie Wien, onde Michael Haneke leciona, propuseram-se a acompanhar o cineasta por um período de dois anos e meio - compreendido entre os longas-metragens O tempo do lobo (Le temps du loup, 2003) e Caché (2005) - para investigar um pressuposto básico: seus filmes contam 24 verdades por segundo - ou, no…

  • Badiou

    Badiou

    ★★★½

    Duas tendências ameaçam a captura cinematográfica de figuras da intelectualidade. De um lado, remissões biográficas esvaziam o pensamento quando o limitam a uma série de relações causais. De outro, abordagens didáticas conjugam conceitos audíveis e ilustrações visíveis em uma anulação mútua. Cientes desses riscos, Gorav e Rohan Kalyan investigam, em Badiou, as condições sob as quais se torna habitável esse nome próprio, um dos mais importantes da filosofia contemporânea.

    Antes mesmo de qualquer imagem, Alain Badiou teoriza o acontecimento (événement),…

  • The Hunt

    The Hunt

    ★★★½

    Que filme corajoso. Grata surpresa.

  • Ghost Town Anthology

    Ghost Town Anthology

    ★★★½

    As gélidas paisagens crescem em gelidez. O negativo dezesseis milímetros denuncia sua textura, e soprantes correntes invadem a trilha sonora. Diante de um elemento urbano, contudo, cessa o horizonte de pura branquidão. Cada qual em seu extremo, um homem e uma mulher fitam-se mutuamente. Atrás deles, gigantescas retroescavadeiras entrecortam Irénée-les-Neiges, vilarejo cujo próprio nome espelha total alvura. “Isso é impressionante”: uma única linha de diálogo sobrepõe-se à ambiência ventosa. No momento seguinte, a dupla senta-se dentro da escavadora, em sentido…