Luiz has written 4 reviews for films rated ★½ during 2019.

  • An Eye and a Knife

    An Eye and a Knife

    ★½

    Nem tudo nessa vida é otimismo, meu filho, viu? A gente tem que estar preparado ... para tudo.

    Nos derradeiros minutos, mesmo o mais desatento dos espectadores já estará ciente do que trata “O Olho e a Faca”, tamanha a redundância de seus temas. Em um bar de iluminação anilada, ao som de um gaiteiro, Roberto Araujo (Rodrigo Lombardi) reencontra os seus antigos subordinados da plataforma de petróleo POLVO-A. O azul onírico e o subsequente despertamento não deixam dúvidas: o…

  • Albatroz

    Albatroz

    ★½

    Não dorme. Acorda.

    Como Alex DeLarge, protagonista de de “Laranja Mecânica” (A Clockwork Orange, 1971), Simão se senta acorrentado em uma cadeira. Sobre seus olhos, acavalam-se as mais variadas imagens. No filme de Stanley Kubrick, a violência figurada desestimulava a concreta. Em “Albatroz”, por sua vez, ao clique da câmera corresponde o do gatilho.

    LEIA MAIS

  • Vergel

    Vergel

    ★½

    Todos nos movemos, cada um à sua maneira, ao seu tempo, ao seu ritmo.

    Trajada com um longo vestido vermelho, Ana Clara (Camila Morgado) repousa em um divã. Ao passo que a câmera se aproxima de um close, à vividez de sua roupa opõe-se a desolação de seu semblante. O corpo pesaroso, estendido sobre a mobília, parece integrar-se à arquitetura da cena. Se isso não ocorre, contudo, é graças ao movimento do plano. Durante a abertura de “Vergel” (2017), Kris…

  • Mortal Engines

    Mortal Engines

    ★½

    Como uma sociedade tão avançada pode ser tão burra?

    Na mitologia helênica, uma caixa encerra todos os males do mundo. Não é incidental, logo, o nome de Pandora Shaw, peça-chave na trama de “Máquinas Mortais” (Mortal Engines, 2018). Homônima da mulher grega, a londrina dedica-se a escavações arqueológicas em um mundo pós-apocalíptico. Entre as suas descobertas, um misterioso artefato reforça o paralelo com a Antiguidade Clássica. Diferentemente de sua antepassada, contudo, Shaw não sucumbe à curiosidade. Sabe, afinal, os perigos representados por aquele objeto. A Medusa, uma arma de energia quântica, desperta nela tão somente um ímpeto museológico.

    LEIA MAIS