Luiz has written 7 reviews for films rated ½ during 2018.

  • The Awakener

    The Awakener

    ½

    Eu sei o que aconteceu com você, mas isso não justifica o que você está fazendo.

    Miguel (Kiko Pissolato) é o retrato do brasileiro médio. Policial da Divisão Armada Especial (DAE), separou-se de Isabela (Natália Lage) e com ela divide a guarda de Alice (Helena Luz). Ou melhor: dividir, na verdade, não parece o verbo mais adequado. Quando a ex-esposa busca a menina na casa do pai, agradece, afinal, o tempo passado com ela. Em poucas palavras, obrigações parentais convertem-se…

  • The Nun

    The Nun

    ½

    Expressividade de Bonnie Aarons criminalmente mal aproveitada.

  • Crô em Família

    Crô em Família

    ½

    [...] “Pink Money – O Filme” – ops, “Crô em Família” – duvida, por fim, do intelecto do espectador ao tentar reduzir toda a comunidade LGBT a um conjunto de estereótipos. Diante disso, talvez pareça tarefa fácil enquadrá-lo, desde já, entre os piores filmes do ano. A afirmação, entretanto, parte do pressuposto de que realmente se trata de um filme. Provavelmente, então, não é a mais adequada.

    CRÍTICA COMPLETA NO SITE DA WOO! MAGAZINE

  • Acrimony

    Acrimony

    ½

    Quando uma mulher negra tem raiva, é um estereótipo.

    “Amargura”, “raiva”, “maldade”. A partir dessas definições, Tyler Perry (“O Halloween de Madea”) apresenta o substantivo “Acrimônia”, título de seu novo filme (Acrimony, 2018). Presença recorrente no Framboesa de Ouro (Razzie Awards), o comediante estadunidense tenta, agora, a sorte em outro terreno, o drama. Conta, para isso, com a parceria da indicada ao Oscar Taraji P. Henson (“O Curioso Caso de Benjamin Button”), forte nome do gênero. O esforço da dupla,…

  • Jurassic World: Fallen Kingdom

    Jurassic World: Fallen Kingdom

    ½

    Natural a saga continuar com Bayona, herdeiro de Spielberg nos mais baratos maniqueísmo e manipulação emocional.

  • The Hurricane Heist

    The Hurricane Heist

    ½

    Propositadamente ruim ou apenas ruim? A pergunta, levantada diante de alguns filmes, certamente paira na cabeça do espectador enquanto assiste a “No Olho do Furacão” (The Hurricane Heist, 2018). Diferentemente de produções como “Sharknado” (2013), no entanto, o novo longa-metragem de Rob Cohen (“Velozes e Furiosos”, “Triplo X”) parece se levar a sério. Justamente por isso, fracassa em seu objetivo mais básico: entreter o público.

    LEIA MAIS

  • Gnome Alone