Luiz has written 70 reviews for films during 2018.

  • O Banquete

    O Banquete

    ★★★

    Isso não é um jantar, querido. Isso é um verdadeiro banquete. Você não imagina.

    Falecido recentemente, Otávio Frias Filho enfrentou, durante a década de 1990, um inusual processo. O ex-presidente Fernando Collor de Mello acusou de calúnia três jornalistas da Folha de S. Paulo, veículo que dirigia, após a publicação de um par de notas. Pela primeira vez, um chefe do Estado brasileiro processava um órgão de imprensa durante o mandato. A resposta não tardou. No dia 25 de abril…

  • The Nun

    The Nun

    ½

    Expressividade de Bonnie Aarons criminalmente mal aproveitada.

  • Motolove

    Motolove

    ★★½

    O fardo da vida é o amor.

    Vestida com penas negras, uma excêntrica figura versa sobre o amor. Como um anjo da morte, o narrador acompanha a história de Xéu e Lidiane, protagonistas de “Vende-se Esta Moto”. De mero observador, no entanto, o poeta punk converte-se em personagem. Um fortuito encontro na boemia da Lapa concretiza, assim, a promessa encarnada pela singular aparição. Trovador do caos, o sombrio profeta não falha, pois, em cumprir a destruição premeditada.

    LEIA MAIS

  • Crô em Família

    Crô em Família

    ½

    [...] “Pink Money – O Filme” – ops, “Crô em Família” – duvida, por fim, do intelecto do espectador ao tentar reduzir toda a comunidade LGBT a um conjunto de estereótipos. Diante disso, talvez pareça tarefa fácil enquadrá-lo, desde já, entre os piores filmes do ano. A afirmação, entretanto, parte do pressuposto de que realmente se trata de um filme. Provavelmente, então, não é a mais adequada.

    CRÍTICA COMPLETA NO SITE DA WOO! MAGAZINE

  • Slender Man

    Slender Man

    Quanto mais medo ele cria, mais fascinados ficamos.

    Na primeira sequência de “Slender Man – Pesadelo Sem Rosto” (Slender Man, 2018), um grupo de amigas assiste a um vídeo. Enquanto graciosos gatinhos brincam na tela do celular, as meninas discutem a fofura das cenas. O comentário de uma delas, no entanto, rompe quaisquer expectativas. Em vez de uma estética macia e felpuda, Katie prefere ver os animais explodindo. A inesperada fala introduz uma sombria personagem, peça-chave no desenrolar do longa-metragem.…

  • Loving Pablo

    Loving Pablo

    ★½

    Graças àqueles homens, choveria cocaína nos Estados Unidos.

    Em 2007, a jornalista Virginia Vallejo publicou Amando Pablo, Odiando Escobar (Amando a Pablo, Odiando a Escobar), autobiografia sobre sua relação com o narcotraficante. Dez anos depois, palavras transformaram-se em imagens. Exibido pela primeira vez no último Festival de Veneza, “Escobar – A Traição” (Loving Pablo, 2017) chega esta semana aos cinemas brasileiros.

    No longa-metragem, escrito e dirigido por Fernando León de Aranoa (“Segunda-feira ao Sol”), o casal espanhol Penélope Cruz (“Vicky…

  • Life Is a Bitch

    Life Is a Bitch

    ★★★

    Vamos lá, gentalha, vamos virar gente.

    Duas mulheres ocupam uma extensa mesa de jantar. Na cabeceira, senta-se a dona da casa; ao seu lado, Regina, candidata à vaga de babá. Mais que mera comodidade, as posições obedecem a uma hierarquia. Cozinhar, usar branco, ficar no “quartinho” e jamais falar com o marido: não obstante a proximidade física, as exigências criam distância simbólica. De repente, no entanto, um telefone toca. Momentaneamente, então, a dinâmica se inverte. A entrevistada, antes subserviente às…

  • Mamma Mia! Here We Go Again

    Mamma Mia! Here We Go Again

    ★★

    Um carismático desastre

  • Friendly Beast

    Friendly Beast

    ★★★

    A culpa é sempre do preto, do paraíba, do viadinho.

    Sobre uma tábua de cozinha, estende-se um cadáver. O corte da faca acompanha o do plano. O coelho perde a cabeça, e o filme ganha título: “O Animal Cordial” (2018). Resumido nas poucas palavras, um discurso se antecipa. Enquanto humano e alimento equivalem-se para as duas primeiras, a terceira remete a Sérgio Buarque de Holanda. Cunhado pelo sociólogo, o conceito “homem cordial” retrata um Brasil de relações afetivas, onde esferas…

  • Acrimony

    Acrimony

    ½

    Quando uma mulher negra tem raiva, é um estereótipo.

    “Amargura”, “raiva”, “maldade”. A partir dessas definições, Tyler Perry (“O Halloween de Madea”) apresenta o substantivo “Acrimônia”, título de seu novo filme (Acrimony, 2018). Presença recorrente no Framboesa de Ouro (Razzie Awards), o comediante estadunidense tenta, agora, a sorte em outro terreno, o drama. Conta, para isso, com a parceria da indicada ao Oscar Taraji P. Henson (“O Curioso Caso de Benjamin Button”), forte nome do gênero. O esforço da dupla,…

  • The Royal Exchange

    The Royal Exchange

    ★★★½

    Não sei quem está pior. Ele, que morreu, ou eu, que vivo com pavor de morrer.

    Narra Nietzsche, em O Nascimento da Tragédia (Die Geburt der Tragödie, 1872), o encontro entre Midas e Sileno. O primeiro, rei da Frígia, perseguia o segundo, sábio companheiro de Dionísio, durante longo tempo pela floresta. Quando, finalmente, conseguiu capturá-lo, indagou-lhe sobre a maior e mais preferível coisa para o homem. “O melhor de tudo é para ti inteiramente inatingível: não ter nascido, não ser,…

  • The Tale

    The Tale

    ★★★★

    Sempre quis ter uma história para contar, mas nada nunca me aconteceu antes.

    Em 2008, a documentarista Jennifer Fox (“Beirut – The Last Home Movie”) viajava o mundo para conhecer as histórias de diferentes mulheres. Seu projeto, a minissérie “Flying – Confessions of a Free Woman”, explorava questões como vida e sexualidade femininas nos dias atuais. Entre o conjunto de depoimentos coletados, faltava, no entanto, um de grande importância: o da própria cineasta. Uma década depois, o corajoso longa-metragem autobiográfico “O Conto” (The Tale, 2018), indicado a dois Emmys, investiga esse passado outrora inacessível.

    LEIA MAIS