Midsommar

Midsommar ★★½

A ideia de fazer o filme se passar em plena luz do dia é justificada pela história e não tira os sentimentos de desconforto e agonia que o filme tenta, e consegue (pelo menos até a metade do filme) passar, pois os mesmos também são trabalhados de outras formas.

Com isso, cenas subitamente chocantes acabam nos impactando ainda mais, já que o desenvolvimento proposto pelo cineasta se concretiza de um jeito muito bem elaborado.

Os atores até entregam o suficiente para que a trama se desenvolva da forma mais orgânica possível, mas os subplots não são mais do que meros recursos para que os personagens se encontrem naquela situação e a partir de um momento o filme tropeça no próprio pé até chegar num final fraco.

O ápice demora para ser alcançado, arrasta a trama e nos entrega o que já tínhamos visto nos dois primeiros atos, não chocando tanto pelo 'preparo' que o próprio filme dá.