Gabriel Miranda

Gabriel Miranda

Favorite films

  • Stagecoach
  • The Birds
  • Moonfleet
  • The Stendhal Syndrome

Recent activity

All
  • I Confess

    ★★★★

  • Sabotage

    ★★★★½

  • The Leopard Man

    ★★★★★

  • The Stendhal Syndrome

    ★★★★★

Recent reviews

More
  • The Stendhal Syndrome

    The Stendhal Syndrome

    ★★★★★

    Antes de tudo, este pôster é feio demais. Fico revoltado quando isso acontece.

    Sobre o filme: Argento na sua melhor forma. O início vertiginoso é só uma pontinha dessa obra descomunal, que atinge níveis estratosféricos de obliteração da identidade e domínio do poético/grotesco.

    Um adendo: curioso pensar que neste filme, bem como em Opera, os assassinos perdem um dos olhos. Não sei o motivo, quem souber comenta aí (talvez seja coincidência, sei lá).

    De toda forma, torcendo pro Occhiali Neri…

  • The Birds

    The Birds

    ★★★★★

    É absurdo como o Hitchcock direciona os olhares de cada personagem, de tal maneira que a ação dita esses olhares e vice-versa. Basta notar na famosa sequência do posto de gasolina ou na Jessica Tandy encontrando o vizinho morto. Tais pontos de vistas se acumulam, entrelaçam, chegando ao ponto da cena em que Rod Taylor e Tippi entram no bar, de novo, logo após ao ataque no posto de gasolina, e encontram todos os olhares convergindo para o mesmo ponto,…

Popular reviews

More
  • Bacurau

    Bacurau

    Uau, como o Kleber (e esse tal de Juliano também, não isentaria o sujeito) possui uma profunda visão política acerca do Brasil atual. Tão profunda que perguntamos em como ninguém pensou antes em sulistas xenófobos, nazistas, político engomadinho saído direto de uma esquete do Zorra Total etc. Entretanto, muito já foi dito sobre a baboseira que tudo isso representa. Sintoma de quem pensa obviedades, de quem acha que falando coisas que são irrefutavelmente malignas (ódio a nordestino, preto, mulheres, gays…

  • Secret Things

    Secret Things

    ★★★★★

    Um milagre de filme.

    Delacroix por telefone agradecendo Sandrine por ter realmente vivido pelo tempo que passou com ela. Algo que pessoalmente, olho no olho, seria impossível de derramar um gota de lágrima de Sandrine. É justamente esses momentos ocultos, do outro lado da linha, em que o contato sincero aparentemente se mostra inalcançado (como o gozo simulado por Sandrine logo no começo); que a revelação ganha poder. Tudo o que ocorre com Nathalie até ela descarregar a pistola em…