• A Scene at the Sea

    A Scene at the Sea

    ★★★★½

    E de um objeto descartado... do lixo para um propósito, o campo que é o mistério e o contracampo que testemunha aquela existência, momentos que o filme pontua sem destaque e com a calmaria do transcorrer pacífico e singelo daquele verão.

  • The Crazies

    The Crazies

    ★★★★

    Todo o poder do invisível da ameaça biológica à instituição militar, da possibilidade de organização ao caos generalizado, a montagem persegue aquele dia a fim de tentar registar o momento (mesmo que nada mais possa ser determinado com alguma certeza), já que esse inevitavelmente se perderá até a próxima crise surgir.

  • When a Woman Ascends the Stairs

    When a Woman Ascends the Stairs

    ★★★★½

    A ilusão da escolha.

  • A Bay of Blood

    A Bay of Blood

    ★★★★

    A vitória da inocência.

  • Planes, Trains and Automobiles

    Planes, Trains and Automobiles

    ★★★

    Não tão engraçado quanto na minha memória (acaba que a estrutura fica cansada), mas o young adult e uma sensação de acúmulo emocional encontra no John Candy o melhor dos mundos.

  • The Indian Tomb

    The Indian Tomb

    ★★★★½

    Os corredores, as vigas, as portas, a montanha e o palácio, as tumbas e as cavernas, tudo é composto a preservar e valorizar a memória, por onde aquelas almas passaram e por quem elas lutaram.

  • Martin

    Martin

    ★★★★★

    Filme de ritmo e decupagem muito próprio (a primeira sequência já é bem representativa) a maldição, o coming of age, o desvio moral e social, o diário em broadcast, tudo em 95 min e é tudo que o Romero precisa.

  • Sangue Corsário

    Sangue Corsário

    ★★★½

    A profissão do poeta...

  • Strange Days

    Strange Days

    ★★★★

    O romance o político/social e o Sci-fi convergem em uma coisa só, Dependem um do outro, delineiam um senso de urgência na virada do século e remontam esse passado ainda não superado.

  • Hiroshima Mon Amour

    Hiroshima Mon Amour

    ★★★★★

    “Assim como essa ilusão existe no amor, a ilusão de nunca poder esquecer, eu tive diante de Hiroshima, a ilusão de jamais esquecer."

  • The Messiah

    The Messiah

    ★★★★½

    A força a ética e o pessoal reforçado sobretudo por aquilo que é omitido.

  • Café Lumière

    Café Lumière

    ★★★★½

    A elipse onde subentende-se o conhecimento do pai sobre a gravidez da filha é seguida por uma cena onde o silêncio paira em seu rosto e consequentemente por toda a sequência, mesmo sob a tentativa da mãe atentar-lhe arrancar alguma reação, a câmera pousa e aguarda o seu movimento acompanha como quem espera um milagre, faz-se de seu semblante um abismo de abnegação. E é no aguardar paciente de cada movimento que café lumière se faz, assim como o amigo de Yoko que escuta os sons na estação pelo simples fato de estar e é estando que invariavelmente se cria o sentido.