Hillbilly Elegy

Hillbilly Elegy

O filme ignora completamente toda a carga política que existe do livro do J.D. Vance que mostra como essas pessoas da região dos Apalaches se sentiam esquecidos pelo governo americano durante vários anos como a região não acreditava mais no partido democrata e que compraram toda a ideia de McDonald Trump nas eleições americanas de 2016.

Com tudo isso eles excluem o aspecto econômico, social e político e transformaram num melodrama barato de telefilme. Sinto que eles fizeram esse filme pensando primeiro em prestigio nas premiações e em indicações ao Oscar (que eu acho que merece para a equipe de maquiagem), mas foi tudo por água abaixo, o filme não sabe aonde encaixar os flashbacks, não sabe quando precisa, não sabe aonde usa a narração, a trilha sonora do Hans Zimmer e David Fleming é sem inspiração, a fotografia tenta sempre pegar aquele enquadramento do rosto da atriz e não fica natural.

Glenn Close se esforça para não se juntar à coleção de cagadas que é Hillbilly Elegy, já não se pode dizer o mesmo da Amy Adams, todas as quatro cenas drámaticas dela que originalmente era pra ser sério e dignas de indicação ao Oscar, no final acabam sendo engraçado e cômica. A adaptação de Hillbilly Elegy é ridícula, frustante, um Oscar Bait total que reforça esteriótipos.