Jeanne Dielman, 23, Quai du Commerce 1080 Bruxelles

Jeanne Dielman, 23, Quai du Commerce 1080 Bruxelles ★★★½

Eu tinha um preconceito com Chantal porque semestre passado um cara da minha sala falava o tempo todo. Fiquei com ranço. Recebi orientação pra assistir esse filme por causa de um roteiro que escrevi. Bom, não tinha mais jeito, eu iria encarar Chantal Akerman. E me sinto feliz por isso. Esse filme é humano, angustiante, doloroso e maravilhoso. Não imaginei que um filme com 3 horas e 20 minutos de duração, com planos em sua maioria parados e pouquíssimas falas pudesse passar rápido. Ok, confesso que dividi. Eu fiquei presa a todo o ritual da personagem. Eu me sentia como uma parede da casa que testemunhava todas as formas como aquela mulher se desdobrava. Sim, foi uma referência muito potente pra mim. Tanto pra complemento de roteiro quanto para planos e formas de filmagem. Quero conhecer e ver mais sobre Chantal que, inclusive, completaria 70 anos semana passada, se não me engano.